Serviços do Estado passam para edifício da Câmara

Transferência de serviços vai permitir poupança na ordem dos 1800 euros em rendas

Os serviços do Centro de Emprego e da Segurança Social de Torre de Moncorvo vão passar para um edifício do município, o antigo Gabinete de Apoio Técnico. A proposta foi apresentada pela Câmara Municipal ao Secretário de Estado do Emprego, que visitou este concelho do Douro Superior, na passada segunda-feira.
O presidente do município de Moncorvo, Nuno Gonçalves, acredita que esta proposta vai melhorar a qualidade dos serviços prestados às populações.
“Vem de encontro àquilo que entendemos ser melhor para a prestação de serviços no concelho de Torre de Moncorvo, mas também com aquilo que o poder central está a tentar que é que alguns serviços possam ter o mesmo local de atendimento”, salienta o autarca.
Esta medida vai permitir ao Estado poupar cerca de 1800 euros por mês em rendas. O autarca de Moncorvo assegura que a Câmara também vai reduzir custos, uma vez que comparticipa a renda do espaço onde funciona o IEFP em cerca de 600 euros.
“Permite uma poupança para o município e para o IEFP e Segurança Social, permitindo assim essa conjugação de esforços e que seja uma realidade a manutenção desses serviços em Torre de Moncorvo”, realça Nuno Gonçalves.
Esta proposta incluiu ainda uma solução para reabilitar um imóvel histórico, junto à Igreja Matriz, que é propriedade do IEFP e está em avançado estado de degradação.
“Temos duas possibilidades, uma é fazer uma permuta desse edifício para onde vão funcionar os serviços com o edifício que é do IEFP ou então um comodato que possibilite ao município candidatar-se a um fundo europeu juntamente com o Estado para reabilitar esse edifício”, explica o edil.
Depois de realizadas as obras neste espaço, é vontade da autarquia concentrar aqui um conjunto de serviços que estão espalhados pela vila, numa espécie de Loja do Cidadão.

Jornal nordeste

Em busca de raízes transmontanas de Jorge Luís Borges

A Câmara de Torre de Moncorvo e a Embaixada da Argentina em Portugal deram as mãos para estudar as “mais que prováveis” raízes transmontanas do escritor argentino Jorge Luís Borges.

O trabalho será desenvolvido em parceria com a Universidade Nacional San Martin, da Argentina, e prevê a realização de um estudo genealógico que culminará com um documentário.

Segundo o embaixador argentino em Lisboa, Jorge Arguello, a investigação genealógica “vai percorrer cerca de 200 anos de história, até se chegar às raízes transmontanas de Jorge Luís Borges”, um dos mais importantes escritores argentinos e da literatura universal, que nasceu em Buenos Aires, a 24 de agosto de 1899.

“Dentro em breve, a universidade argentina vai enviar uma equipa de filmagens, tendo em vista seguir o rasto do bisavô de Jorge Luís Borges”, adianta o embaixador.

Maior aproximação entre Portugal e a Argentina
Aquele que se suspeita ser o bisavô do escritor argentino chamava-se Francisco Borges e saiu de Torre de Moncorvo, rumo à América do Sul, em 1850, rintegrado numa expedição militar portuguesa que atracou na região do Rio de la Plata. Esse Borges nunca regressou a Portugal.

“Temos a certeza que Jorge Luís Borges é bisneto de Francisco Borges. Não estamos é certos das circunstâncias do nascimento de Francisco Borges”, sublinha o diplomata.

O estudo que agoraarranca serve também para aproximar os dois países, uma vez que na Aargentina “vivem mais de 65 mil portugueses”.

“Precisamos de elevar o grau de intercâmbio entre Portugal e a Argentina”, defende Jorge Arguello.

Novo presidente do Moncorvo toma hoje posse

Basílio Lázaro toma hoje posse como presidente do Grupo Desportivo de Moncorvo depois de ter sido eleito, na sexta-feira, para o próximo biénio.

A lista de Basílio Lázaro era a única a sufrágio.
O novo líder do Moncorvo quer manter a equipa de seniores a competir no campeonato distrital e reforçar a aposta nas camadas jovens.Um regresso ao nacional não consta do futuro próximo do Moncorvo. Para Basílio Lázaro “não há condições financeiras” para manter uma equipa nos campeonatos nacionais.

Em relação à equipa técnica, Basílio Lázaro vai apostar em Tomás Dias, ex-adjunto de Sílvio Carvalho, para treinar o plantel no distrital e quer manter o núcleo duro da equipa da época passada.
O novo presidente fez ainda saber que o Moncorvo vai continuar a competir em todos os escalões de formação à excepção de juniores.

Escrito por Brigantia

Novo presidente do Moncorvo toma hoje posse

Basílio Lázaro toma hoje posse como presidente do Grupo Desportivo de Moncorvo depois de ter sido eleito, na sexta-feira, para o próximo biénio.

A lista de Basílio Lázaro era a única a sufrágio.
O novo líder do Moncorvo quer manter a equipa de seniores a competir no campeonato distrital e reforçar a aposta nas camadas jovens.Um regresso ao nacional não consta do futuro próximo do Moncorvo. Para Basílio Lázaro “não há condições financeiras” para manter uma equipa nos campeonatos nacionais.

Em relação à equipa técnica, Basílio Lázaro vai apostar em Tomás Dias, ex-adjunto de Sílvio Carvalho, para treinar o plantel no distrital e quer manter o núcleo duro da equipa da época passada.
O novo presidente fez ainda saber que o Moncorvo vai continuar a competir em todos os escalões de formação à excepção de juniores.

Escrito por Brigantia

Basílio Lázaro sucede a José Aires na liderança do G.D.Moncorvo

Basílio Lázaro é o novo presidente do Grupo Desportivo de Moncorvo. Basílio Lázaro foi eleito ontem à noite e encabeçava a única lista a sufrágio e sucede a José Aires na liderança do clube.

Recordamos que José Aires esteve 25 anos na presidência do Moncorvo.
De referir que Tomás Dias, ex-adjunto de Sílvio Carvalho, é o técnico escolhido pelo novo presidente para treinar a equipa no campeonato distrital.

Escrito por Brigantia

Basílio Lázaro escolhe Tomás Dias para treinar Moncorvo caso vença as eleições

Basílio Lázaro é o único candidato às eleições do Grupo Desportivo de Moncorvo, marcadas para sexta-feira.

O receio de o clube cair num vazio directivo, depois de duas assembleias sem que aparecessem listas, fez com que Basílio Lázaro avançasse para as eleições. “Depois das duas assembleias realizadas vi que não aparecia ninguém e como podíamos ter que entregar as chaves ao município se não houvesse candidatos decidi avançar”.Basílio Lázaro tem 59 anos, é funcionário público e ocupou o cargo de tesoureiro na direcção liderada por José Aires, que está a cessar funções.
Quanto ao técnico escolhido pelo candidato às eleições do Moncorvo, caso seja eleito, é Tomás Dias, adjunto de Sílvio Carvalho até à época passada.Em relação ao plantel, Basílio Lázaro quer manter o núcleo duro da época passada e continuar a apostar na prata da casa.

As eleições do G.D.Moncorvo estão marcadas para sexta-feira, às 21h30. Basílio Lázaro encabeça a única lista a sufrágio.
Recordamos que José Aires não avança para a recandidatura, depois de 25 anos na liderança do clube.

Escrito por Brigantia